7 de maio é o Dia do Oftalmologista .

 Sinais de perigo para a sua visão.

 

 
Se não há dor, não há moléstia. A máxima não é adequada para os males que acometem a visão. Há diversas doenças oculares em desenvolvimento ou em estágio avançado que não provocam dor, apenas leves interferências na visão. 

Segundo o diretor do Instituto de Moléstias Oculares (IMO), o oftalmologista Virgílio Centurion, qualquer alteração precisa ser investigada. "Há uma tendência natural do ser humano de tentar se adaptar ao desconforto visual. Em alguns casos, o que o paciente chama de desconforto é, na verdade, o sintoma de uma doença ocular, que pode ser grave. Por isto, é recomendável descobrir a causa da visão borrada, dos halos coloridos e das moscas volantes, pois estas não são condições normais da visão", diz.

O especialista explica que as moscas volantes ou ´floaters´ são alterações visuais que se manifestam sob forma de pequenos pontos escuros, manchas, filamentos, círculos ou teias de aranha que parecem se mover na frente de um ou de ambos os olhos, sendo percebidas mais facilmente durante a leitura ou quando se olha fixamente para uma parede vazia.

Processo

Com o processo natural de envelhecimento, o vítreo - fluído gelatinoso que preenche o globo ocular - contrai-se, podendo se separar da retina em alguns pontos, sem que isto cause obrigatoriamente danos à visão. "As moscas volantes são minúsculas partículas de vítreo condensado, formadas quando este se solta da retina. Embora pareçam estar na frente do olho, na realidade, elas estão flutuando dentro do olho", conta o oftalmologista.

Nem sempre as moscas volantes interferem na visão. Porém, quando passam pela parte central, as partículas bloqueiam a luz e lançam sombras na retina, onde se formam as imagens. "As moscas volantes ocorrem com maior frequência após os 45 anos", informa o diretor.

Durante o exame, por meio do mapeamento da retina, é possível detectar este tipo de alteração. Procedimento que deve ser feito periodicamente nos pacientes que se queixam do problema.

Cores

A visão das cores é percebida, principalmente, pela mácula, que é a parte central da retina. Assim, qualquer distúrbio que afete a mácula pode causar um problema na visão de cores. 

"No entanto é preciso saber que cerca de 8% dos homens e 0,5% das mulheres têm alguma versão de ´daltonismo´, desde o nascimento. Normalmente esta é uma característica herdada geneticamente, que faz com que vermelhos, marrons, roxos e outros tons possam ser confundidos. Nestes casos, geralmente os olhos são afetados igualmente", explica o oftalmologista Juan Carlos Caballero, que integra o corpo clínico do IMO.

Problemas da retina, como a retinopatia serosa central, o edema macular e a degeneração macular podem levar à perturbação temporária da visão de cores. 

Certos tipos de catarata também podem afetar gradualmente a visão das cores, mas isso geralmente não é percebido até que a catarata seja removida. Já os distúrbios do nervo óptico, como a neurite óptica, podem afetar muito a visão das cores.

 

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e fique informado!

Desenvolvido por Fábrica de Tempo

Marcação de consulta Online

Rui Carlos Ortega Filho - Doctoralia.com.br
ou preencha o formulário abaixo:

  • Etapa 1
  • Etapa 2
cancelar CONTINUAR

Informações de exames: (escolha primeiro se é particular ou convênio)

cancelar