Perda auditiva tem tratamento!

A perda auditiva é a dificuldade ou incapacidade de ouvir sons. É classificada de acordo com sua intensidade e causada, muitas vezes, pelo envelhecimento, apesar de não ser essa a única causa.

A perda auditiva tem tratamento! Descubra mais sobre o assunto a seguir.

Sintomas da perda auditiva

Para identificar se alguém realmente perdeu parte da capacidade auditiva, existem alguns sintomas que são manifestados. Confira:

  • A pessoa sente que as pessoas ao redor estão falando baixo, mesmo elas falando normalmente;

  • Dificuldade para conversar em lugares cheios, como por exemplo um restaurante lotado;

  • Pedir constantemente para que pessoas repitam frases;

  • Ter que aumentar o volume da televisão, rádio ou celular.

Causas da perda auditiva

E quais os fatores que levam alguém a deixar de escutar nitidamente? Com certeza a primeira hipótese que vem à mente como resposta é o envelhecimento. Mas esse não é o único fator. 

Além da perda auditiva relacionada à idade, causada pelo desgaste do sistema auditivo, outros fatores são:

  • Perda auditiva causada por ruído

Algumas profissões que exigem proximidade diária a sons, como é o caso de policiais que ficam expostos às sirenes de carros, trabalhadores de construção, trabalhadores de fábricas e músicos, têm a perda auditiva acelerada por causa dos altos ruídos. 

  • Hereditariedade

Casos de perda auditiva intensa e surdez podem ser passados por hereditariedade.

  • Perda auditiva do ouvido externo e médio condutiva

Esse tipo de perda auditiva ocorre por causa de um bloqueio na transmissão do som através do ouvido externo ou do ouvido médio. Otite média crônica, otosclerose, malformações do ouvido externo ou perfuração do tímpano são algumas condições que levam a esse tipo de perda.

  • Perda auditiva no ouvido interno neurossensorial

É o tipo de perda auditiva mais comum, causado por problemas na orelha interna ou nas vias neurais, como o próprio nome neurossensorial propõe. O maior problema que impede a audição saudável é que as informações sonoras não são codificadas corretamente em sinais elétricos para que o cérebro as receba.

  • Perda auditiva mista

Existem casos em que a perda condutiva e a perda neurossensorial são combinadas. Por exemplo, quando uma infecção no ouvido causar danos no tímpano se estenderem à cóclea.

Mensuração da perda auditiva

A quantidade de perda auditiva pode ser mensurada de acordo com testes de níveis de audição de cada orelha em frequências diferentes - medidas em decibéis (dB). Essa classificação leva em conta as frequências mais utilizadas no dia a dia (500-2000 Hz).

A classificação de acordo com a mensuração é a seguinte:

  • Perda auditiva leve: varia enter 25 e 40 dB. São menos percebidos e por vezes se apresentam como desatenção ou dificuldade de entender em ambientes mais ruidosos.

  • Perda auditiva moderada: varia entre 40 a 70 dB. Sons familiares ainda são percebidos, mas a pessoa precisa aumentar os volumes e pedir para as pessoas falarem mais alto.

  • Perda auditiva severa: se dá entre 70 e 90 dB. Aqui, a fala só é percebida pelo ouvinte se estiver perto da orelha.

  • Perda auditiva profunda: ocorre entre 90 a 120 dB. Nesses casos, só sons muito altos são percebidos.

  • Surdez total ou cofose: quando, acima de 120 dB, nada é percebido. 

Tem tratamento! 

Graças aos avanços da medicina aliada à tecnologia, existem tratamentos disponíveis para perda auditiva que são capazes de atenuar o quadro e às vezes até revertê-lo. 

Para saber qual o melhor tratamento fazer e para saber sobre expectativas para o tratamento, é preciso consultar um otorrinolaringologista, médico especialista em questões auditivas.

Alguns dos tratamentos realizados são:

  • Lavagem do ouvido

Cera acumulada no interior do ouvido pode atrapalhar - e muito - a capacidade auditiva.

  • Cirurgia

Quando o  problema está localizado no ouvido externo ou no ouvido médio, é possível que a cirurgia retome a audição do paciente. Porém, quando o problema é localizado no ouvido interno, a cirurgia não é capaz de reverter a surdez ou perda de audição.

  • Implante coclear

Chamado também de “ouvido biônico”, o implante coclear é um aparelho eletrônico que substitui a função do ouvido interno em pacientes que possuem surdez total ou quase total.

  • Aparelho auditivo

Esse tipo de aparelho também conhecido como prótese acústica funciona muito bem quando as perdas auditivas são moderadas ou severas. O aparelho tem como função ampliar o som ambiente. 

 

Dra. Regina Stela Roland Ortega

Otorrinolaringologista

CRM/SP 33487 / RQE 8904

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e fique informado!

Desenvolvido por Fábrica de Tempo

Marcação de consulta Online

ou preencha o formulário abaixo:

PRÉ-AGENDAMENTO

  • Etapa 1
  • Etapa 2
cancelar CONTINUAR

Informações de exames: (escolha primeiro se é particular ou convênio)

cancelar