Considere surdez súbita como algo sério

Em agosto de 2016, Carly Sygrove experimentou surdez súbita e, infelizmente, ela não tomou nenhuma providência de procurar um médico até a semana seguinte quando sua audição não podia mais ser recuperada. Se ela tivesse tomado providências  rápidas, ela teria tido a chance de recuperar  parte de sua audição. Por isso a advertência de Carly para outras pesssoas é clara: Procure um médico imediatamente , caso perceba que tenha tido perda auditiva repentina.

Briton Carly Sygrove, 35 anos mora em Madri,  e em 29 de agosto de 2016 ela foi a um auditório para ouvir uma apresentação , e de repente, escutou um ruído alto que  encheu sua cabeça de pressão.

Apesar de sentir-se desorientada, Carly procurou agir normalmente e participar da conversa com sua colega, do lado esquerdo. Carly pode perceber que sua colega estava falando, no entanto, ela não ouvia nada do que a colega estava dizendo. Explicou Carly.

Lutando para aceitar sua deficiência auditiva

Carly procurou continuar a sua vida normalmente, após os primeiros dias de ter experimentado deficiência auditiva repentina, mas ela teve dificuldades com o passar dos dias. Foi difícil para Carly continuar trabalhando como professora de escola primária. Como ela declara, o nível de volume de som  de sua classe era  difícil de ser tolerado, e ela não podia ouvir  o que cada criança estava dizendo para ela , por conta de ruído de fundo.

Até que completando 18 dias Carly foi a um especialista, o qual fez um exame de sua audição e enviou-a imediatamente para o hospital, onde ela ficou internada durante uma semana fazendo um tratamento à base de corticoide intravenoso. Depois de ter recebido alta, ela continuou a tomar comprimido de esteroide  durante quatro semanas. Ela tomou também quatro injeções de esteroide intratimpânico.
Com o tempo as náuseas diminuiram, contudo, apóster se submetido a tais tratamentos ainda não há melhorIas em sua audição, afirma Carly.

Convivendo com os efeitos de perda auditiva súbita

Deficiência auditiva influencia no cotidiano de Carly, ainda hoje de diferentes maneiras. Ela fica normalmente cansada, e às vezes ela experimenta zumbido no ouvido, e costuma ser sensível a ruídos altos que fazem com que ela sinta uma pressão na cabeça. Com aapenas uma audição Carly não pode dizer de onde os sons vêm. Ela afirma que ouve alguma música ou ruído, mas ela não sabe qual a direção que deve olhar para saber  onde o som está sendo produzido. Além disso, ela tem tinnitus constante em seu ouvido surdo e tem também problema para sociabilizar-se.

“Uma vez que eu não posso ouvir bem, em ruído de fundo, isso faz com que as relações sociáveis em restaurantes e bares tornem-se algo difícil e desconfortável. Eu tenho aprendido a sentar no canto com o meu ouvido voltado para a pessoa com quem eu estou conversando, a fim de ouví-la durante uma conversa,” explica Carly.

Uma vez que Carly tem dificuldade com ruído de fundo, e é sensível a ruídos altos, ela não está apta para retornar ao trabalho como professora. Por isso, Carly trabalha atualmente como professora assistente de meio período. Desse modo, ela usa menos tempo em sala de aula com ruído de fundo, o que é mais viável para ela.

Compartilhando experiências

Devido a experiência que Carly obteve, ela tem aprendido que Em agosto de 2016, Carly Sygrove experimentou surdez súbita e, infelizmente, ela não tomou nenhuma providência de procurar um médico até a semana seguinte quando sua audição não podia mais ser recuperada. Se ela tivesse tomado providências  rápidas, ela teria tido a chance de recuperar  parte de sua audição. Por isso a advertência de Carly para outras pesssoas é clara: Procure um médico imediatamente , caso perceba que tenha tido perda auditiva repentina.

Briton Carly Sygrove, 35 anos mora em Madri,  e em 29 de agosto de 2016 ela foi a um auditório para ouvir uma apresentação , e de repente, escutou um ruído alto que  encheu sua cabeça de pressão.

Apesar de sentir-se desorientada, Carly procurou agir normalmente e participar da conversa com sua colega, do lado esquerdo. Carly pode perceber que sua colega estava falando, no entanto, ela não ouvia nada do que a colega estava dizendo. Explicou Carly.

Lutando para aceitar sua deficiência auditiva

Carly procurou continuar a sua vida normalmente, após os primeiros dias de ter experimentado deficiência auditiva repentina, mas ela teve dificuldades com o passar dos dias. Foi difícil para Carly continuar trabalhando como professora de escola primária. Como ela declara, o nível de volume de som  de sua classe era  difícil de ser tolerado, e ela não podia ouvir  o que cada criança estava dizendo para ela , por conta de ruído de fundo.

Até que completando 18 dias Carly foi a um especialista, o qual fez um exame de sua audição e enviou-a imediatamente para o hospital, onde ela ficou internada durante uma semana fazendo um tratamento à base de corticoide intravenoso. Depois de ter recebido alta, ela continuou a tomar comprimido de esteroide  durante quatro semanas. Ela tomou também quatro injeções de esteroide intratimpânico.
Com o tempo as náuseas diminuiram, contudo, apóster se submetido a tais tratamentos ainda não há melhorIas em sua audição, afirma Carly.

Convivendo com os efeitos de perda auditiva súbita

Deficiência auditiva influencia no cotidiano de Carly, ainda hoje de diferentes maneiras. Ela fica normalmente cansada, e às vezes ela experimenta zumbido no ouvido, e costuma ser sensível a ruídos altos que fazem com que ela sinta uma pressão na cabeça. Com aapenas uma audição Carly não pode dizer de onde os sons vêm. Ela afirma que ouve alguma música ou ruído, mas ela não sabe qual a direção que deve olhar para saber  onde o som está sendo produzido. Além disso, ela tem tinnitus constante em seu ouvido surdo e tem também problema para sociabilizar-se.

“Uma vez que eu não posso ouvir bem, em ruído de fundo, isso faz com que as relações sociáveis em restaurantes e bares tornem-se algo difícil e desconfortável. Eu tenho aprendido a sentar no canto com o meu ouvido voltado para a pessoa com quem eu estou conversando, a fim de ouví-la durante uma conversa,” explica Carly.

Uma vez que Carly tem dificuldade com ruído de fundo, e é sensível a ruídos altos, ela não está apta para retornar ao trabalho como professora. Por isso, Carly trabalha atualmente como professora assistente de meio período. Desse modo, ela usa menos tempo em sala de aula com ruído de fundo, o que é mais viável para ela.

Compartilhando experiências

Devido a experiência que Carly obteve, ela tem aprendido que é muito importante ir ao médico imediatamente, e caso você tenha experimentado perda auditiva repentina, Carly recomenda que entre em contato com pessoas que tenham tido a mesma experiência que você, e que busque ajuda online através de websites e blogs. Com o objetivo de ajudar outras pessoas, Carly criou o seu próprio blog onde ela compartilha sua experiência de perda auditiva súbita.

Você pode encontrar o blog da Carly Sygrove aqui: https://myhearinglossstory.wordpress.com/ Carly recomenda que entre em contato com pessoas que tenham tido a mesma experiência que você, e que busque ajuda online através de websites e blogs. Com o objetivo de ajudar outras pessoas, Carly criou o seu próprio blog onde ela compartilha sua experiência de perda auditiva súbita.

Você pode encontrar o blog da Carly Sygrove aqui: https://myhearinglossstory.wordpress.com/

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e fique informado!

Desenvolvido por Fábrica de Tempo

Marcação de consulta Online

ou preencha o formulário abaixo:

  • Etapa 1
  • Etapa 2
cancelar CONTINUAR

Informações de exames: (escolha primeiro se é particular ou convênio)

cancelar