Obesidade associada a um maior risco de perda auditiva em mulheres - The American Journal of Medicine

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 360 milhões de pessoas têm surdez incapacitante, uma condição que é muitas vezes considerada como um efeito colateral inevitável do envelhecimento. Uma nova pesquisa da Hospital Brigham and Women (BWH) descobre que um maior índice de massa corporal (IMC) e uma maior circunferência da cintura estão associados com um maior risco de perda auditiva, enquanto que um maior índice de atividade física é associado com menor risco de perda auditiva em mulheres.

"Muitas vezes pensamos na perda auditiva como uma parte inevitável do processo de envelhecimento, mas esses resultados fornecem evidências de que os fatores de risco potencialmente modificáveis, como a manutenção de um peso saudável e estar fisicamente ativo, podem ajudar na prevenção da perda auditiva ou retardar sua progressão ", disse Sharon Curhan, MD, SCM, principal autora do estudo e pesquisadora na Channing Division of Network Medicine no BWH.

Usando dados de 68.421 mulheres no Estudo de Saúde das Enfermeiras II que foram seguidas de 1989 até 2009, os pesquisadores analisaram informações sobre o IMC, circunferência da cintura, a atividade física e perda auditiva referida. Informações atualizadas foram obtidas através de questionários validados bienais. Os pesquisadores descobriram que as mulheres com um IMC entre 30 e 34 tiveram um risco relativo para a perda auditiva 17% maior, e aquelas com um IMC de 40 ou mais tiveram um risco relativo 25% mais elevado, quando comparadas com aquelas mulheres com IMC abaixo de 25.

Para as mulheres com circunferência da cintura entre 80 e 88 cm, o risco relativo para perda auditiva foi 11% maior e com a circunferência da cintura maior que 88 cm, o risco relativo foi 27% mais elevado, quando comparado com as mulheres com circunferência da cintura menor de 71 cm.

Os pesquisadores também descobriram que um maior índice de atividade física foi associado com um menor risco de perda auditiva. Comparadas com as mulheres que eram menos ativas fisicativamente, mulheres que se exercitavam bastante tinham um risco 17% menor de perda de audição. Andar a pé, que era a forma mais comum de atividade física relatada entre essas mulheres, foi associado a um menor risco; andar 2 horas por semana ou mais foi associado com um risco 15% menor de perda de audição, em comparação com andar menos de uma hora por semana .

FONTE : http://emedix.uol.com.br/not/index.php

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e fique informado!

Desenvolvido por Fábrica de Tempo

Marcação de consulta Online

Rui Carlos Ortega Filho - Doctoralia.com.br
ou preencha o formulário abaixo:

  • Etapa 1
  • Etapa 2
cancelar CONTINUAR

Informações de exames: (escolha primeiro se é particular ou convênio)

cancelar